Tensão Pré Menstrual

Like
 ESSE ARTIGO JÁ AJUDOU
  PESSOAS

tpm4

O que é TPM

 

A TPM ou síndrome da tensão pré-menstrual (STPM) é um distúrbio neuropsicoendócrino que atinge a mulher na fase reprodutiva gerando alterações físicas, psíquicas e sociais, ocorrendo na segunda metade do ciclo menstrual, e desaparecendo nos primeiros dias após a menstruação. A TPM é responsável pelo comprometimento dos relacionamentos e da produtividade da mulher, afetando o ambiente familiar, social, escolar e profissional. Existe ainda o Transtorno Disfórico Pré-Menstrual (TDPM), que é a manifestação aguda da TPM.

“Fico tão irritada, que nem eu me aguento! É um sentimento tão ruim, um aperto no peito. Tenho vontade de quebrar as coisas, pra ver se extravasa essa irritação. e me atrapalha também no trabalho, minha paciência cai a zero!!! E não sei o que fazer, tento me controlar, mas é muito difícil!!!”

Quem é mais atingida pela TPM

 

Pesquisas apontam que aproximadamente 80% das mulheres em fase reprodutiva, demonstram sintomatologia no período pré-menstrual, e 3% a 5% apresentam sintomas de forma aguda interferindo no dia a dia ou no trabalho. A TPM tem início em média aos 26 anos, com tendência a piorar ao passar do tempo. Quadros depressivos (incluindo a depressão pós-parto) ou tendência genética para transtornos de humor favorecem o desenvolvimento da TPM.

Quais as causas da TPM

 

Ainda não foi encontrada a causa da TPM, mas muitos fatores podem contribuir para o desenvolvimento da síndrome. Acredita-se que sejam os ovários a disparar o processo, resultado da interação entre os hormônios produzidos por eles na segunda fase do período menstrual, com a endorfina e a serotonina que, por sua vez são responsáveis pelo controle do humor e das emoções. Baixos níveis de serotonina podem favorecer a redução do prazer e da sensação de bem-estar, assim como o desenvolvimento da depressão pré-menstrual, fadiga, compulsão alimentar e distúrbios do sono.

Entretanto, ainda que todos os ovários tenham o mesmo mecanismo de atuação, efetivamente, nem todas as mulheres desenvolvem a TPM. Logo, fica aqui uma gama de perguntas não respondidas sobre o porquê de certas mulheres apresentarem inúmeros sintomas correlacionados com a interação dos hormônios, enquanto outras não. A teoria mais aceita atualmente propõe que o motivo dessa diferença esteja nos diferentes níveis de sensibilidade das mulheres em relação a essa interação, apresentando assim sintomas que outras não manifestam.

Questões psicológicas como o estresse e/ou distúrbios não causam a TPM, mas certamente colaboram para o agravamento dos sintomas da síndrome pré-menstrual. Além disso há fatores como:

  • Baixos níveis de vitaminas e minerais, tais como a E e a B6;
  • Diminuição do cálcio e do magnésio no corpo;
  • Excesso de sódio nos alimentos e consumo de álcool ou cafeína.

Quais os tipos de TPM

 

A TPM é classificada em quatro categorias: A, C, H e D, considerando a predominância dos sintomas. Mesmo assim, essa classificação não é regra, sendo que uma mesma mulher pode desenvolver sintomas de mais de um tipo de TPM.

TPM – A: descrita por comportamento ansioso, irritadiço, tenso ou mesmo agressivo. Considera-se o tipo mais comum;

TPM – C: definida pelo aumento do apetite, compulsão alimentar (com favorecimento a ingestão de doces), cansaço, cefaleia e palpitações;

TPM – H: crescimento súbito do peso corporal em até três quilos, inchaço das mamas, dor e distensão abdominal;

TPM – D: a menos comum, é descrita pela prevalência do choro fácil, distúrbios do sono, confusão mental e depressão.

 

Quais os sintomas da TPM

 

A sintomatologia da TPM é diversa, classificada por sintomas físicos e psicológicos, surgindo geralmente surgem de 5 a 10 dias antes do período menstrual.

Sintomas físicos da TPM

 

A TPM desenvolve inúmeros sintomas físicos, sendo:

tpm-chocolate

  • Diminuição da libido;
  • Diarreia;
  • Palpitações;
  • Alteração do apetite;
  • Surgimento e/ou agravamento de problemas de pele;
  • Zumbido;
  • Contrações musculares;
  • Náuseas;
  • Vômitos;
  • Dores de Cabeça;
  • Desmaios;
  • Alterações no sono;
  • Inchaço abdominal;
  • Prisão de ventre;
  • Dor abdominal;
  • Inchaço nas pernas;
  • Distúrbios motores;
  • Dor e inchaço nas mamas;
  • Aumento de peso;
  • Baixa na imunidade;
  • Cólicas;
  • Edema nas mãos e nos pés.
Sintomas Psicológicos da TPM

 

A TPM ainda afeta diversos fatores psíquicos, como:

  • Alterações de humor;
  • Agitação;
  • Agressividade;
  • Distúrbios do sono (como a insônia ou excesso de sono);
  • Irritabilidade;
  • Autoestima baixa;
  • Choro fácil;
  • Déficits de atenção;
  • Apatia;
  • Depressão;
  • Cansaço;
  • Tensão;
  • Ansiedade;
  • Labilidade emocional;
  • Letargia;
  • Recolhimento social/reclusão.

Como Diagnosticar a TPM

 

Em um período de doze meses a mulher precisará apresentar na maioria dos ciclos ao menos cinco dos seguintes sintomas:

  • Humor depressivo;
  • Raiva ou irritabilidade;
  • Déficit de atenção/concentração;
  • Desinteresse por assuntos que comumente se interessaria;
  • Aumento do apetite;
  • Falta ou excesso de sono;
  • Algum dos sintomas físicos descritos anteriormente.

Qual o Tratamento da TPM

 

A terapêutica utilizada no tratamento da TPM varia conforme a gravidade dos sintomas apresentados, e normalmente é multidisciplinar (onde mais de um especialista atua). Logo, o melhor caminho para lidar com a TPM é uma atuação interdisciplinar (onde mais de um especialista trabalha de forma interligada), com aplicações medicamentosas, alterações nos hábitos alimentares e comportamentais.

O uso de medicamentos é especialmente indicado em casos onde a sintomatologia da TPM esteja se apresentando de forma aguda, interferindo amplamente no dia a dia da mulher. Nesses momentos, geralmente são prescritos antidepressivos como:

 

  • Fluoxetina
  • Sertralina
  • Escitalopram
  • Citalopram
  • Bupropiona

A pílula de uso continuado é uma alternativa para suspender a menstruação. Em momentos mais graves, concomitantemente ao uso do anticoncepcional comum, existe também uma rotina a ser seguida, favorecendo a melhora dos sintomas, sendo:

  • Atividade física moderada e regular (com frequência de três vezes por semana);
  • Alteração nos hábitos alimentares (redução do sódio, gordura, cafeína, açucares e aumento na ingestão de cálcio e magnésio);
  • Eliminar o tabagismo e reduzir o consumo de etílicos;
  • Prática de relaxamento para controlar o estresse;
  • Psicoterapia para identificação e manejo dos sintomas psicológicos.

Considerando o caráter somático da TPM, a psicoterapia baseada na abordagem comportamental cognitiva permitirá identificar, compreender e alterar os sintomas psicológicos, favorecendo melhora no quadro geral da síndrome de tensão pré-menstrual, permitindo a retomada do autocontrole e melhora na qualidade de vida nas áreas diversas do dia a dia, como a família, relacionamentos, trabalho, estudos, etc.

Bruno Moraes de Souza
Psicólogo Comportamental Cognitivo
CRP-06/119065

ESSE CONTEÚDO AJUDOU VOCÊ?
 

Whatsapp 11-9.5787-2812. Não perca essa oportunidade, fale agora com um de nossos atendentes pelo whatsapp do CEDEM.

Horário de Funcionamento

Seg: 14:00 às 20:00

Ter-Sex: 08:00 às 20:00

Sáb: 08:00 às 13:00

(11) 4738-1042

Conteúdo Relacionado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Responda a pergunta a seguir: * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.