Dez coisas que toda criança autista queria que você soubesse

Like
 ESSE ARTIGO JÁ AJUDOU
  PESSOAS

 

Dez coisas que toda criança autista queria que você soubesse

O autismo é considerado uma síndrome comportamental em conseqüência de um distúrbio de desenvolvimento. È caracterizado por um déficit na interação social, inabilidade em relacionar-se com o outro, podendo apresentar também déficit de linguagem e alteração de comportamento.

Segundo o DSM-IV (2002), o quadro é melhor identificado por volta dos três anos de idade, com a proporção de 15 crianças a cada 10 mil, predominando o sexo masculino e decorrente de condições pré, peri e pós-natais.

Alguns quadros são englobados na categoria Transtornos Abrangentes do Desenvolvimento como Síndrome de Asperger, transtornos Desintegrativos e Síndrome de Rett.

Esta síndrome compromete seriamente o grupo familiar, apresentando sentimentos de luto pela perda da criança saudável que esperavam e as limitações da capacidade adaptativa ao longo do desenvolvimento. Desta forma, a família deve ser orientada e acolhida.

O autismo infantil corresponde a um quadro de extrema complexidade que exige que abordagens multidisciplinares sejam efetivadas visando-se a questão educacional e da socialização e a questão médica.

Os autistas têm problemas com organização, independente do nível de inteligência e do desenvolvimento, assim como com pensamento conceitual e abstrato. Assim uma rotina estabelecida visando organização do espaço e do tempo, pode facilitar a vida, principalmente das crianças em suas atividades do dia a dia.

O aumento na ocorrência de comportamentos difíceis pode indicar nível de estresse elevado. Algumas vezes estresse pode ser causado pelo sentimento de perda do controle. Autistas usam a palavra e falam de maneira literal. É importante evitar gírias, duplo sentido, sarcasmo, apelidos e abreviações. Assim o maior desafio é a comunicação. Pode ser observado também que padrões instáveis são comuns e característicos em pessoas com autismo.

Ellen Nottohm apresenta dez coisas que toda criança com autismo gostaria que você soubesse:

1) Antes de tudo eu sou uma criança. Eu tenho autismo. Eu não sou somente "Autista". O meu autismo é só um aspecto do meu caráter. Não me define como pessoa. Você é uma pessoa com pensamentos, sentimentos e talentos. Ou você é somente gordo, magro, alto, baixo, míope. Talvez estas sejam algumas coisas que eu perceba quando conhecer você, mas isso não é necessariamente o que você é. Sendo um adulto, você tem algum controle de como se autodefine. Se quer excluir uma característica, pode se expressar de maneira diferente. Sendo criança eu ainda estou descobrindo. Nem você ou eu podemos saber do que eu sou capaz. Definir-me somente por uma característica, acaba-se correndo o risco de manter expectativas que serão pequenas para mim. E se eu sinto que você acha que não posso fazer algo, a minha resposta naturalmente será: Para que tentar?

2) A minha percepção sensorial é desordenada. Interação sensorial pode ser o aspecto mais difícil para se compreender o autismo. Quer dizer que sentidos ordinários como audição, olfato, paladar, toque, sensações que passam desapercebidas no seu dia a dia podem ser doloridas para mim. O ambiente em que eu vivo pode ser hostil para mim. Eu posso parecer distraído ou em outro planeta, mas eu só estou tentando me defender. Vou explicar o porquê uma simples ida ao mercado pode ser um inferno para mim: a minha audição pode ser muito sensível. Muitas pessoas podem estar falando ao mesmo tempo, música, anúncios, barulho da caixa registradora, celulares tocando, crianças chorando, pessoas tossindo, luzes fluorescentes. O meu cérebro não pode assimilar todas estas informações, provocando em mim uma perda de controle. O meu olfato pode ser muito sensível. O peixe que está à venda na peixaria não está fresco. A pessoa que está perto pode não ter tomado banho hoje. O bebê ao lado pode estar com uma fralda suja. O chão pode ter sido limpo com amônia. Eu não consigo separar os cheiros e começo a passar mal. Porque o meu sentido principal é o visual. Então, a visão pode ser o primeiro sentido a ser super estimulado. A luz fluorescente não é somente muito brilhante, ela pisca e pode fazer um barulho. O quarto parece pulsar e isso machuca os meus olhos. Esta pulsação da luz cobre tudo e distorce o que estou vendo. O espaço parece estar sempre mudando. Eu vejo um brilho na janela, são muitas coisas para que eu consiga me concentrar. O ventilador, as pessoas andando de um lado para o outro... Tudo isso afeta os meus sentidos e agora eu não sei onde o meu corpo está neste espaço.

3) Por favor, lembre de distinguir entre não poder (eu não quero fazer) e eu não posso (eu não consigo fazer) receber e expressar a linguagem e vocabulário pode ser muito difícil para mim. Não é que eu não escute as frases. É que eu não te compreendo. Quando você me chama do outro lado do quarto, isto é o que eu escuto "BBBFFFZZZZSWERSRTD SRDTYFDYT João". Ao invés disso, venha falar comigo diretamente com um vocabulário simples: "João, por favor, coloque o seu livro na estante. Está na hora de almoçar". Isso me diz o que você quer que eu faça e o que vai acontecer depois. Assim é mais fácil para compreender.

4) Eu sou um "pensador concreto" (CONCRETE THINKER). O meu pensamento é concreto, não consigo fazer abstrações. Eu interpreto muito pouco o sentido oculto das palavras. É muito confuso para mim quando você diz "não enche o saco", quando o que você quer dizer é "não me aborreça". Não diga que "isso é moleza, é mamão com açúcar" quando não há nenhum a mamão com açúcar por perto e o que você quer dizer é que isso e algo fácil de fazer. Gírias, piadas, duplas intenções, paráfrases, indiretas, sarcasmo eu não compreendo.

5) Por favor, tenha paciência com o meu vocabulário limitado. Dizer o que eu preciso é muito difícil para mim, quando não sei as palavras para descrever o que sinto. Posso estar com fome, frustrado, com medo e confuso, mas agora estas palavras estão além da minha capacidade, do que eu possa expressar. Por isso, preste atenção na linguagem do meu corpo (retração, agitação ou outros sinais de que algo está errado).
Por um outro lado, posso parecer como um pequeno professor ou um artista de cinema dizendo palavras acima da minha capacidade na minha idade. Na verdade, são palavras que eu memorizei do mundo ao meu redor para compensar a minha deficiência na linguagem. Por que eu sei exatamente o que é esperado de mim como resposta quando alguém fala comigo. As palavras difíceis que de vez em quando falo podem vir de livros, TV, ou até mesmo serem palavras de outras pessoas. Isto é chamado de ECOLALIA. Não preciso compreender o contexto das palavras que estou usando. Eu só sei que devo dizer alguma coisa.

6) Eu sou muito orientado visualmente porque a linguagem é muito difícil para mim. Por favor, me mostre como fazer alguma coisa ao invés de simplesmente me dizer. E, por favor, esteja preparado para me mostrar muitas vezes. Repetições consistentes me ajudam a aprender. Um esquema visual me ajuda durante o dia a dia. Alivia-me do stress de ter que lembrar o que vai acontecer. Ajuda-me a ter uma transição mais fácil entre uma atividade e outra. Ajuda-me a controlar o tempo, as minhas atividades e alcançar as suas expectativas. Eu não vou perder a necessidade de ter um esquema visual por estar crescendo. Mas o meu nível de representação pode mudar. Antes que eu possa ler, preciso de um esquema visual com fotografias ou desenhos simples. Com o meu crescimento, uma combinação de palavras e fotos pode ajudar mais tarde a conhecer as palavras.

7) Por favor, preste atenção e diga o que eu posso fazer ao invés de só dizer o que eu não posso fazer. Como qualquer outro ser humano não posso aprender em um ambiente onde sempre me sinta inútil, que há algo errado comigo e que preciso de "CONSERTO". Para que tentar fazer alguma coisa nova quando sei que vou ser criticado? Construtivamente ou não é uma coisa que vou evitar. Procure o meu potencial e você vai encontrar muitos! Terei mais que uma maneira para fazer as coisas.

8) Por favor, me ajude com interações sociais. Parece que não quero brincar com as outras crianças no parque, mas algumas vezes simplesmente não sei como começar uma conversa ou entrar na brincadeira. Se você pode encorajar outras crianças a me convidarem a jogar futebol ou brincar com carrinhos, talvez eu fique muito feliz por ser incluído. Eu sou melhor em brincadeiras que tenham atividades com estrutura começo-meio-fim. Não sei como "LER" expressão facial, linguagem corporal ou emoções de outras pessoas. Agradeço se você me ensinar como devo responder socialmente. Exemplo: Se eu rir quando Sandra cair do escorregador não é que eu ache engraçado. É que eu não sei como agir socialmente. Ensine-me a dizer: "você esta bem?".

9) Tente encontrar o que provoca a minha perda de controle. Perda de controle, "chilique", birra, mal-criação, escândalo, como você quiser chamar, eles são mais horríveis para mim do que para você. Eles acontecem porque um ou mais dos meus sentidos foi estimulado ao extremo. Se você conseguir descobrir o que causa a minha perda de controle, isso poderá ser prevenido - ou até evitado. Mantenha um diário de horas, lugares pessoas e atividades. Você encontrar uma seqüência pode parecer difícil no começo, mas, com certeza, vai conseguir. Tente lembrar que todo comportamento é uma forma de comunicação. Isso dirá a você o que as minhas palavras não podem dizer: como eu sinto o meu ambiente e o que está acontecendo dentro dele.

10) Se você é um membro da família me ame sem nenhuma condição. Elimine pensamentos como "Se ele pelo menos pudesse…" ou "Porque ele não pode…" Você não conseguiu atender a todas as expectativas que os seus pais tinham para você e você não gostaria de ser sempre lembrado disso. Eu não escolhi ser autista. Mas lembre-se que isto está acontecendo comigo e não com você. Sem a sua ajuda a minha chance de alcançar uma vida adulta digna será pequena. Com o seu suporte e guia, a possibilidade é maior do que você pensa. Eu prometo: EU VALHO A PENA. E, finalmente três palavras mágicas: Paciência, Paciência, Paciência. Ajuda a ver o meu autismo como uma habilidade diferente e não uma desabilidade. Olhe por cima do que você acha que seja uma limitação e veja o presente que o autismo me deu. Talvez seja verdade que eu não seja bom no contato olho no olho e conversas, mas você notou que eu não minto, roubo em jogos, fofoco com as colegas de classe ou julgo outras pessoas? É verdade que eu não vou ser um Ronaldinho "Fenômeno" do futebol. Mas, com a minha capacidade de prestar atenção e de concentração no que me interessa, eu posso ser o próximo Einstein, Mozart ou Van Gogh. Eles também tinham autismo, uma possível resposta para Alzheimer o enigma da vida extraterrestre. O que o futuro tem guardado para crianças autistas como eu, está no próprio futuro. Tudo que eu posso ser não vai acontecer sem você sendo a minha Base. Pense sobre estas "regras" sociais e se elas não fazem sentido para mim, deixe de lado. Seja o meu protetor seja o meu amigo e nós vamos ver ate onde eu posso ir.

Fátima Rosana Cavenaghi Moraes de Souza
Psicóloga e Psicopedagoga
CRP-06/113259

ESSE CONTEÚDO AJUDOU VOCÊ?
 
Whatsapp 11-9.5787-2812. Não perca essa oportunidade, fale agora com um de nossos atendentes pelo whatsapp do CEDEM.

Horário de Funcionamento

Seg: 14:00 às 20:00

Ter-Sex: 08:00 às 20:00

Sáb: 08:00 às 13:00

(11) 4738-1042

Conteúdo Relacionado

  • Tereza Raquel Lobao

    Amando conhecer esse espaço. Sou psicóloga e conhecer é o meu melhor fazer.

  • Ericson Rondineli Soares Ferreira

    Olha adorei o post. Muito bonito, muito sábio e muito direto.
    Gostaria de saber mais, de ler mais, de compreender mais, de saber como posso fazer para ajudar mais meu filho, principalmente na escola.

    • CEDEM Artigos

      Agradecemos o interesse em nosso conteúdo. O tema “escola” voltado ao autista será avaliado para a produção de novos artigos.
      Seria interessante, passar seu filho em avaliação com uma psicopedagoga, capaz de avaliar questões acadêmicas e biopsicosociais relevantes
      para o dia a dia dele. Na clínica a Dra. Fátima Rosana atende em psicologia e psicopedagogia, e pode lhe orientar melhor.

      Se desejar, encaminhe um email pelo nosso formulário clicando aqui, informando o departamento de psicopedagogia.

      Atenciosamente

      Equipe CEDEM

  • Ericson Rondineli Soares Ferreira

    Como faço para me inscrever?

    • CEDEM Artigos

      Olá Ericson.

      Para se inscrever em nossa lista de novidades, basta clicar em “Inscreva-se para receber artigos, dicas, testes, notícias e mais!”
      ao postar um comentário, ou ainda preencher o campo de inscrição com nome e email logo abaixo do banner de nosso chat ao vivo.

      Verificamos em nosso banco de dados que seu nome e email já estão cadastrados em nossa lista e receberá nossas novidades.
      Não é necessário se cadastrar novamente.

      Atenciosamente

      Equipe CEDEM

  • Magali Batista Ribeiro

    Muito bom este artigo. Sou aluna do curso de pedagogia e estou fazendo trabalho sobre desafio profissional meu grupo escolheu estudar sobre o autista nos ajudou muito este artigo. Mais uma vez obrigada.

  • Sumara

    Sou mãe de uma criança
    Autista Gostaria de saber mais sobre a interações
    Com outras crianças .

    • CEDEM Artigos

      Olá Sumara,

      agradecemos o seu interesse em nosso conteúdo. O tema referido foi encaminhado para a nossa equipe de produção para novos artigos.

      Caso tenha interesse, você pode encaminhar uma questão específica sobre o assunto para um de nossos psicólogos pelo formulário em:

      http://cedemmogi.com.br/fale-conosco/

      Atenciosamente

      Equipe CEDEM

  • Heber

    O que o futuro tem guardado para criancas autistas como eu, esta no proprio futuro. Tudo que eu posso ser nao vai acontecer sem voce sendo a minha Base. Pense sobre estas regras sociais e se elas nao fazem sentido para mim, deixe de lado. Seja o meu protetor seja o meu amigo e nos vamos ver ate onde eu posso ir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *